top of page

Garantindo a segurança no condomínio: responsabilidades do síndico


equipamentos de proteção coletiva (EPCs)

Como síndico, você possui uma função importantíssima: garantir a segurança das pessoas e do patrimônio em um condomínio. Isso envolve diversas atividades, como a manutenção e atualização dos itens de segurança necessários. No entanto, muitos síndicos não estão cientes de que não precisam de autorização para realizar essas atividades, desde que estejam dentro do orçamento previsto para o ano.

A segurança é uma questão que deve ser levada a sério e deve-se ter uma previsão orçamentária anual que inclua os itens necessários para atender às obrigações legais. Estes incluem equipamentos de segurança, sistemas de alarme, câmeras de monitoramento, entre outros. Esses itens são essenciais para garantir a segurança de todos no condomínio.


Além disso, é importante destacar que as seguradoras estão cada vez mais vigilantes quando se trata de ressarcimentos de sinistros. Caso o síndico não tenha todos os itens de segurança em dia, de acordo com a legislação vigente, poderá enfrentar problemas e desperdício de recursos. Portanto, negligenciar a segurança pode sair muito caro.

Uma das responsabilidades do síndico é manter o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) atualizado. Este programa descreve quais equipamentos de proteção individual (EPIs) e equipamentos de proteção coletiva (EPCs) devem ser utilizados no condomínio. É fundamental que o PPRA esteja em dia, pois ele é essencial para garantir a segurança e o bem-estar dos moradores e funcionários.


Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA)

equipamentos de proteção individual (EPIs)

O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) é um documento realizado com o objetivo de identificar os riscos ambientais presentes no ambiente de trabalho e adotar medidas de prevenção e proteção adequadas.

O PPRA atualizado deve realizar uma análise completa do ambiente de trabalho do condomínio, identificando os possíveis riscos físicos, químicos, biomecânicos, ergonômicos e biológicos. Além disso, ele deve contemplar ações preventivas, como o uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) e coletiva (EPCs), instruções de segurança, treinamentos para colaboradores, entre outros.

Os equipamentos de proteção individual (EPIs) são dispositivos que visam proteger a integridade física do trabalhador contra riscos específicos encontrados no local de trabalho. No contexto do condomínio, alguns exemplos de EPIs que podem ser utilizados são:

  1. Capacete de segurança: para proteger a cabeça contra quedas de objetos ou choques elétricos;

  2. Óculos de proteção: para evitar lesões oculares causadas por partículas, produtos químicos ou raios UV;

  3. Protetor auricular: para prevenir danos à audição causados pelo ruído excessivo;

  4. Luvas de segurança: para proteger as mãos contra cortes, abrasões ou produtos químicos;

  5. Máscara respiratória: para evitar a inalação de gases, vapores, poeiras ou fumos prejudiciais à saúde;

  6. Cinto de segurança: para prevenir quedas em alturas, principalmente em trabalhos em telhados, escadas ou andaimes.


Já os equipamentos de proteção coletiva (EPCs) são dispositivos adotados no ambiente de trabalho em benefício de todos os colaboradores. No caso de um condomínio, alguns exemplos de EPCs que podem ser utilizados são:

  1. Sinalização de segurança: placas, sinais sonoros ou luminosos que alertam sobre riscos específicos ou direcionam ações seguras;

  2. Instalação de guarda-corpos: em locais elevados, como escadas, lajes ou áreas de acesso, para prevenir quedas;

  3. Extintores de incêndio: dispostos em pontos estratégicos para o combate rápido às chamas;

  4. Alarme de incêndio: emitindo avisos sonoros para uma evacuação segura em caso de emergência;

  5. Saídas de emergência: sinalizadas e desobstruídas para uma evacuação rápida e segura em caso de necessidade.

É importante ressaltar que a escolha dos EPIs e EPCs adequados deve ser feita em conformidade com as exigências legais e após uma análise minuciosa dos riscos encontrados no condomínio. É fundamental também que haja treinamento e conscientização dos colaboradores sobre a correta utilização e manutenção desses equipamentos de prevenção.

Sendo assim, é de extrema importância que você, como síndico, esteja ciente de sua responsabilidade em relação à segurança e cumpra as obrigações legais. Certifique-se de incluir os itens de segurança necessários na previsão orçamentária anual e mantenha o PPRA sempre atualizado. Dessa forma, você estará garantindo não só a segurança das pessoas e do patrimônio, mas também evitando problemas futuros e resguardando-se de possíveis ressarcimentos em caso de sinistros.


A segurança é um investimento essencial e deve ser tratada com a devida importância. Portanto, coloque a segurança em primeiro lugar e crie um ambiente seguro e tranquilo para todos no condomínio.



 

Se gostou desse conteúdo e quer ficar por dentro dos assuntos condominiais entre no grupo exclusivo pra síndico no link abaixo.


65 visualizações0 comentário

Comentarios


Investidores

bottom of page